Categorias
Recrutamento e seleção

Tudo que você precisa saber sobre o funil de recrutamento

O funil de recrutamento é uma representação gráfica da trajetória definida pela empresa para o processo de contratação. Ele registra cada fase e controla como os candidatos encontram e se relacionam com a empresa desde os momentos iniciais.

Trata-se do conhecido funil de vendas aplicado ao processo seletivo. Afinal, do mesmo modo que novos clientes percorrem um caminho desde que conhecem a empresa até que compram, os candidatos começam a formar uma imagem da empresa desde o primeiro ponto de contato.

Monitorar esse processo é fundamental para garantir e aumentar a capacidade da empresa de atrair e identificar os melhores talentos, o que é determinante para o sucesso do negócio. Vamos aos detalhes importantes da aplicação do funil? Confira!

O que é um funil de recrutamento?

Você já sabe que o funil de recrutamento é uma representação do processo seletivo, mas o que isso significa exatamente? Pois bem, um funil pode ser descrito como um componente de um encanamento que aumenta a pressão, pois diminui o espaço, provocando um afunilamento.

No caso do funil de recrutamento, o afunilamento ocorre conforme os candidatos são selecionados para passar para a etapa seguinte ou desistem de continuar, gerando um número decrescente de participantes, até que sobre o profissional contratado.

Com a adoção do funil, a empresa pode passar a controlar e trabalhar os fatores que influenciam a continuidade, por exemplo, ao eliminar eventuais gargalos que desestimulem a participação de talentos que interessam para a empresa. Isso pode ocorrer nos estágios iniciais e, em muitos casos, o motivo pode ser revertido.

No que consiste o funil de recrutamento?

funil de recrutamento é uma forma de analisar o número de candidatos e, dentre esses, realizar o cálculo de quantos farão parte da próxima etapa do processo seletivo. Antes de iniciar a seleção, é necessário que o número de candidatos já esteja definido para cada etapa.

Como ele funciona na prática?

A real ação do funil de recrutamento é o detalhamento que ele apresenta ao responsável pelo processo seletivo. É inserido no sistema o número de visitantes, ocorre a seleção, e, então, é escolhido um volume menor de candidatos que passarão pela fase de testes. Em seguida, a fase final, que termina com a quantidade para preencher as vagas.

Quais as vantagens de aplicá-lo?

Essa forma de selecionar os melhores candidatos tem o objetivo de tornar o processo de seleção mais ágil e acertado, diminui custos à instituição e aos candidatos, e capta os melhores talentos. Uma contratação bem realizada cumpre com a cultura organizacional da empresa e evita turnover.

Quais as etapas do funil de recrutamento?

funil de recrutamento realiza a seleção e a mensuração dos resultados das etapas para contratar os possíveis talentos para a corporação. É realizado em fases e acontece da seguinte forma:

  • topo do funil — o processo inicial é conhecido como “fale conosco”, aqui ocorre a análise de currículos. Nessa fase, as pessoas são consideradas visitantes;
  • meio do funil — nessa etapa, os visitantes preenchem alguns requisitos apontados pelo processo seletivo e se tornam candidatos à vaga, assim, são encaminhados para a fase seguinte;
  • fundo do funil — como candidatos concorrentes, eles são convidados a participarem da entrevista, dinâmicas em grupo e testes técnicos para mensurar suas competências.

Nessa etapa, a maioria das avaliações é presencial e as outras podem ser online — a entrevista, por exemplo. Aqui, ocorre o recrutamento dos talentos que vão compor o quadro de colaboradores da organização.

Quais os principais erros ao implementar um funil de recrutamento?

Alguns dos principais erros encontrados no funil são muito fáceis de identificar, como a linguagem usada nos canais de comunicação. Abordagens muito formais podem parecer menos atrativas para profissionais de setores que envolvem criação e inovação, por exemplo.

Outro problema recorrente é a falta de informação. Esse pode ser um aspecto delicado, pois muitos dados talvez precisem ser mantidos em sigilo, mas sem avaliar o que comunicar do ponto de vista da estratégia de funil, alguns detalhes podem ser suprimidos sem necessidade.

O terceiro grande erro é usar canais inadequados, o que pode mudar, de acordo com a vaga e o setor de atuação. Ou seja, os principais erros envolvem, principalmente, a comunicação. Por isso, dê atenção máxima a ela.

Como criar um funil de recrutamento eficiente?

Neste tópico vamos relacionar as principais medidas e práticas que você deve aplicar para criar um bom funil de vendas. Veja!

Atração

Na etapa da atração é preciso desenvolver ações capazes de atrair talentos em número suficiente e com o perfil desejado. Contudo, o primeiro passo é entender como os candidatos chegam à empresa, o que há de positivo e o que pode prejudicar o processo. Com uma análise situacional que identifique os pontos fortes e fracos, vai ficar mais fácil desenvolver ações corretivas de acordo com as prioridades.

Conversão

Na primeira etapa do funil encontram-se os visitantes, certo? Aqueles potenciais candidatos que ainda não enviaram o currículo se encontram no topo do funil. Portanto, o objetivo é convertê-los em candidatos interessados em trabalhar na empresa. Por isso, você tem de pensar em práticas capazes de convencê-los de que é uma boa ideia enviar o currículo.

Qualificação

Depois que os candidatos demonstram interesse é preciso avaliar a qualificação de cada um, buscando identificar os que estão em condições de seguir para o próximo estágio. É quando são aplicados testes e entrevistas.

Proposta

Depois de selecionados os candidatos qualificados, as ações se voltam à elaboração da proposta de trabalho, que também pode contribuir ou dificultar que os talentos mais concorridos passem para o estágio final. Por isso, é preciso avaliar e fortalecer cada detalhe de influência, o que inclui benefícios oferecidos, por exemplo.

Formalização

O funil se encerra na conclusão do processo, quando o colaborador é contratado e passa para o onboarding.

Como as ferramentas tecnológicas podem ajudar?

Um software de recrutamento digital é a ferramenta mais completa para otimizar o funil de seleção e torná-lo eficiente. O software apresenta tudo que acontece durante um processo seletivo, como: o início, as fases, o número de candidatos, quais os testes, a fase decisiva do recrutamento etc.

O software armazena dados dos visitantes, que podem ser analisados pela equipe de Recursos Humanos a qualquer momento por meio de uma plataforma que está interligada e contém todas as etapas do processo que ele participou.

Percebeu a necessidade de utilizar o funil de recrutamento nos processos seletivos da sua organização? Essa estratégia de escolher candidatos experientes para fazer parte do time de sucesso é o que pode transformar a sua organização. Um colaborador que segue a cultura organizacional da empresa tem todas as técnicas necessárias e é proativo, além de ter todos os requisitos para trazer produtividade para a instituição.

Gostou do nosso artigo? Então, assine nossa newsletter para receber mais artigos interessantes.

Categorias
Recrutamento e seleção

Hunting: Saiba o que é e como usá-lo na busca por talentos

Em mercados cada vez mais competitivos, as empresas já não podem assumir uma posição passiva para atrair e contratar os melhores talentos do mercado. É nesse cenário que surge a figura do hunting de candidatos.

É muito fácil entender a razão dessa afirmação, se considerar que os profissionais mais talentosos são empregados rapidamente. Para contratá-los em maior número do que a concorrência e, desse modo, conquistar vantagem competitiva, é preciso sair na frente.

É esse o objetivo do hunting de candidatos: garantir a contratação dos melhores profissionais. Como? Basta continuar a leitura para entender o conceito, a lógica e aproveitar os resultados. Confira!

O que é hunting de candidatos?

De origem inglesa, hunting quer dizer “caça”, ou seja, remete à ação de uma companhia em busca dos melhores profissionais do mercado. O hunting não segue o fluxo receptivo de currículos, já que a empresa sabe o perfil que busca e os meios para alcançá-lo. Logo, o hunting é o conjunto de ações que uma companhia estabelece para facilitar a busca pelos mais capacitados profissionais do mercado.

Para alcançar os objetivos propostos, são usados desde o networking à contratação de um profissional de caça de talentos (headhunter) para apoiar essas buscas. Para a estratégia de hunting, não é preciso que exista um cargo em aberto para ser preenchido. Ou seja, as ações podem ser direcionadas tendo como objetivo definir a base de um perfil profissional que atenda plenamente aos objetivos de uma empresa.

Como deve ser o processo de contratação de hunting?

O profissional de hunting tem várias conexões que vão ajudar a encontrar os melhores profissionais do mercado. Contudo, as empresas só pensam em contratar esses serviços quando tem uma contratação urgente para fazer, o que é um grande erro.

Para evitar essa situação, é importante que a empresa tenha um planejamento estratégico e ele deve estar alinhado com o RH das empresas. Dessa forma, o setor pode antecipar o levantamento de perfis que vão ajudar a companhia a alcançar os resultados esperados.

Para contratar um profissional de hunting é preciso verificar as referências da empresa ou do profissional, e ligar para companhias que já utilizaram o serviço para verificar como foi a experiência deles. Esse serviço se encaixa para todas as empresas que:

  • passam por uma fase de crescimento;
  • almejam ampliar os seus mercados;
  • desejam inovar para se diferenciar.

Qual a diferença entre search e hunting?

A diferença entre esses dois processos não é tão sutil quanto a tradução dos termos, mas ainda assim, vamos começar por ela. Pois bem, search quer dizer busca, enquanto hunting que dizer caça. Ou seja, a diferença entre as palavras é, basicamente, relativa ao esforço empregado. Enquanto a busca tem uma natureza mais passiva, a caça sugere maior agressividade e atitude.

No processo de seleção, a busca, ou search, se caracteriza pela definição de um perfil de candidato ideal, divulgação da vaga e recrutamento dos profissionais disponíveis no mercado, capazes de preencher os requisitos de contratação.

Por ter natureza passiva, não há garantias de que os candidatos encontrados correspondam exatamente ao perfil, pois é deles a iniciativa de resposta. Ao mesmo tempo, as informações não costumam estar detalhadas, o que também pode atrair profissionais com características distintas das exigidas.

Já no processo de hunting, o profissional de RH é quem busca o colaborador ideal, de um modo mais ativo e dinâmico. No lugar de esperar pelo profissional ideal, ele busca meios que permitam determinar os canais nos quais seja possível encontrar o colaborador ideal e a abordagem com mais chances de atraí-lo.

O hunting inclui colaboradores empregados, mas que estejam em busca de outras propostas. Esses profissionais podem ser muito difíceis de encontrar no processo de search, pois tendem a ser mais discretos na busca de uma colocação. Afinal, normalmente eles não querem chamar a atenção do atual empregador de que procuram uma nova oportunidade.

Quais os benefícios da contratação de um hunting?

A contratação desse serviço traz uma série de vantagens para as companhias. Você vai conhecer os principais agora.

Detalhamento das necessidades da vaga

Com o processo mais ativo é possível atuar de um modo efetivo na busca do profissional ideal, o que depende de um detalhamento prévio das demandas da vaga. Além de uma descrição mais bem elaborada, o processo é caracterizado por uma série de práticas que visam encontrar o talento idealizado.

Por isso, o esperado é que a empresa atue a partir de uma estratégia de “caça”, ou seja, com base em um levantamento prévio sobre onde o colaborador pode ser encontrado e como chegar até ele.

Maior possibilidade de acerto nas contratações

Como o processo é feito por meio de uma pesquisa personalizada e realizada a partir de uma busca ativa, o profissional contratado tem mais chances de contribuir com os objetivos organizacionais.

Qualificação de vagas estratégicas na empresa

Os profissionais contratados por meio dos serviços de hunting são altamente estratégicos para a empresa e já chegam à organização com um cenário desenhado para ele. Isso confere mais possibilidades de resultados tanto para a organização quanto para o profissional.

Contratação ágil

Embora o processo seja muito mais detalhado, o volume de trabalho de característica mais operacional, próprio do processo seletivo, pode diminuir significativamente. Por exemplo, ações repetitivas e burocráticas, como preenchimentos de cadastros e análise de currículos, são substituídas por outras mais estratégicas, como busca ativa no lugar e na hora certa.

Profissionais especializados na atividade de hunting tendem a localizar com agilidade os profissionais ideais, pois sabem onde encontrá-los porque agem monitorando oportunidades, não “garimpando” possibilidades.

Aumento da competitividade da empresa

A atividade de hunting costuma ser focada em cargos mais estratégicos para a empresa. Nessas posições, alguns talentos podem fazer diferença no mercado. Cada vez mais, a competitividade das empresas depende de capacidade de contratar e reter as pessoas que podem agregar resultados.

Economia nos processos seletivos

Como a qualidade é priorizada nesse processo, em detrimento da quantidade de candidatos, o processo de contratação acontece mais rápido, já que o número de etapas convencionais de um processo seletivo é reduzido.

Além disso, o acerto na contratação diminui o retrabalho e todo o custo envolvido no processo de contratação e treinamento. Isso sem contar o desempenho do colaborador, que também tende a garantir melhor resultado financeiro.

Por fim, guarde bem que o processo de hunting de candidatos nas empresas é uma ação eficiente para encontrar os melhores talentos do mercado, conferindo mais competitividade às empresas.

Se você gostou do que aprendeu aqui, fale com a Weseek agora mesmo: vamos mostrar a você como a nossa consultoria otimiza processos de recrutamento e seleção.

Categorias
Inovação e tecnologia

Entrevista digital: esclarecemos 7 dúvidas sobre o assunto!

Que a tecnologia é um importante recurso para diminuir distâncias, reduzir custos e agilizar processos não há mais dúvidas. E é nesse cenário que surge a entrevista digital. Ela é uma interação online do processo seletivo, feita para otimizar o tempo de recrutadores e candidatos, enquanto mantém a qualidade e a eficiência de uma seleção presencial.

Se já era tendência por conta da transformação digital, ficou ainda mais forte em razão da pandemia da Covid-19. Nesse contexto, a entrevista digital se tornou uma forma de demonstrar cuidado com todos os envolvidos no processo, além de evidenciar a responsabilidade social, na medida em que contribui para a diminuição do contágio.

Essa necessidade também ajudou a quebrar barreiras, pois pessoas mais resistentes à mudança agora têm outros motivos para superar qualquer obstáculo. Então, é mais que urgente procurar informações a respeito do tema. Confira!

1. O que é preciso para fazer uma entrevista digital?

Do aspecto da estrutura tecnológica, você vai precisar de um computador conectado à internet e um aplicativo para teleconferência. Dê preferência a uma plataforma desenvolvida especialmente para o setor de gestão de pessoas, o que pode incluir recursos de gamificação, por exemplo.

Ao mesmo tempo, é preciso preparar um ambiente calmo, silencioso e iluminado, assegurando que não haverá interrupções durante a entrevista. Como se trata de um novo canal de contato, é fundamental se preparar por meio de atividades de capacitação, ajuda especializada e, se for o caso, até com simulações com a participação dos colegas, buscando ambientação.

2. Como a pandemia mudou os processos de entrevista?

Logo na introdução deste conteúdo, mencionamos os efeitos da pandemia no fortalecimento da aplicação da entrevista digital. Contudo, também é fundamental considerar que o fato de as pessoas terem vivido esse tipo de experiência — seja em reuniões de teleconferência, seja nos próprios processos seletivos, seja até em eventos artísticos —, fez com que elas passassem a ver essas alternativas com mais naturalidade.

Em razão disso, não podemos interpretar que essa seja uma tendência passageira. No futuro, prevemos entrevistas do gênero sendo feitas até em carros autônomos. Agora, notamos que muitas empresas definiram por continuar operando em home office, por exemplo. Por que elas fariam entrevistas presenciais nesse contexto?

3. Por que a entrevista digital é uma tendência?

O tempo é um recurso decisivo para as empresas e seus funcionários. Por isso, é crucial usar a tecnologia como aliada nos negócios. Com ferramentas digitais, é possível superar distâncias e atender às demandas por mobilidade tanto de recrutadores quanto de candidatos.

Isso significa que essas pessoas podem fazer a entrevista de onde quer que estejam, o que colabora para a adesão de mais candidatos em potencial ao processo seletivo e reduz os custos com deslocamentos até a empresa. Além disso, a organização tem redução de custos com aluguéis de espaços, luz, recepção e outras questões relacionadas à infraestrutura e até logística dos recrutadores.

4. Quais são as vantagens da entrevista digital para as empresas?

Além da redução de custos para companhias e candidatos, a entrevista digital ainda traz uma série de vantagens. Veja a seguir!

Maior poder de alcance

Com essa forma de entrevista, o recrutador pode entrevistar candidatos de qualquer parte do país e até do mundo, aumentando as chances de contratar um candidato totalmente alinhado às exigências do cargo.

Ao mesmo tempo, o candidato tem mais liberdade para, por exemplo, fazer cursos em locais específicos, aproveitar para visitar parentes distantes e fazer as mais diversas atividades, sem limitação de local.

Aumento da produtividade

Com essa inovação, o tempo das entrevistas é reduzido, especialmente o de intervalos entre um encontro e outro. Dessa maneira, os recrutadores podem entrevistar mais candidatos em menos tempo. Também sobram horas para que eles possam se dedicar a questões mais estratégicas do negócio, incluindo análises de perfil e de alinhamento de propósitos.

Melhor gerenciamento das etapas

As plataformas de recrutamento digital contam com filtros e outros recursos que facilitam o gerenciamento das etapas dos processos seletivos, conferindo mais organização a essa atividade.

É especialmente por isso que elas se diferenciam das soluções menos específicas, desenvolvidas para teleconferência ou ligações por vídeo. Muitas tarefas, como lembretes e testes, podem ser disparadas de maneira automática, utilizando ferramentas elaboradas para isso.

Flexibilidade na comunicação

A plataforma de consultoria de recrutamento digital, especialmente desenvolvida para essa tarefa, agrega outras funcionalidades automatizadas, como o disparo automático de retornos sobre cada etapa para o candidato. Com isso, todos recebem feedbacks, contribuindo para uma melhor comunicação da empresa com esse importante público de relacionamento.

5. Como conduzir uma entrevista digital?

Para conduzir a entrevista digital, faça um roteiro de perguntas. É importante fazer questionamentos pertinentes à área de atuação do candidato entrevistado e sobre o histórico profissional dele. Deixe o profissional à vontade para esclarecer as suas principais dúvidas com relação à vaga e dê uma previsão sobre o retorno da entrevista.

Como já adiantamos, é fundamental se preparar para tirar o máximo proveito dessa inovação. O distanciamento de uma entrevista online vai provocar diferentes reações nas pessoas, o que também pode ajudar na avaliação, especialmente se os encontros online fizerem parte da rotina do candidato depois de contratado.

6. Quais as melhores práticas para fazer uma entrevista digital?

Certifique-se de que o ambiente esteja preparado de forma adequada, com os equipamentos e o sinal de Wi-Fi funcionando perfeitamente. No momento da entrevista online, atente para o delay (tempo de envio do sinal de áudio e de vídeo) e tenha papel e caneta à mão, bem como o currículo do candidato.

Ademais, a pontualidade nas entrevistas digitais, assim como nas presenciais, é um fator a ser observado, tanto para candidatos quanto para recrutadores.

7. Como uma consultoria de recrutamento e seleção digital pode ajudar?

Em seus atendimentos, a Weseek pôde comprovar na prática a importância do trabalho de uma consultoria digital. Isso inclui o recurso de agendamento de entrevistas digitais.

Melhor do que os profissionais de qualquer outra área, quem atua com gestão de pessoas entende perfeitamente a importância que elas têm em uma organização. Nesse contexto, as ferramentas tecnológicas são apenas instrumentos.

É verdade que são importantíssimos, mas as mudanças são feitas, de fato, pelas pessoas. A forma como candidatos e recrutadores se comportam nas entrevistas é o que fará a real diferença no resultado.

Olhar especial e conhecimento agregado

Qual a relação disso com a consultoria? Pois bem, principalmente o fato de que ela aborda a implantação dessas soluções com um olhar de fora da empresa. Fica mais fácil para identificar silos organizacionais, propor ações e fortalecer os pontos fortes de cada empresa.

Além disso, uma consultoria não atua focada em incluir uma nova rotina nos fluxos de processos da empresa, mas em um método estruturado. Ele terá objetivos, prazos e, sobretudo, conhecimento aprendido em outras implantações de entrevista digital.

Como você viu, a entrevista digital está forte e deve seguir em alta mesmo após a pandemia de Covid-19. Se quiser se preparar da melhor forma possível, contratando os candidatos mais alinhados, contar com ajuda de quem entende do assunto é fundamental.

Então, não perca tempo para fortalecer os processos da sua empresa com o apoio de consultoria. Fale com a Weseek e conheça os diferenciais da nossa solução!

Categorias
Recrutamento e seleção

Como manter a qualidade do recrutamento a distância? Confira!

Profissionais talentosos não estão apenas em um lugar, mas espalhados por todo o mundo. Felizmente, o recrutamento online possibilitou alcançar mais profissionais, graças à tecnologia moderna. O recrutamento a distância envolve busca, entrevista e contratação de funcionários que estejam em lugares diferentes da sede da empresa.

Recrutadores remotos usam a tecnologia para se conectar com candidatos, não importa o lugar onde eles estejam. É possível contatá-los de qualquer lugar. No momento sem precedentes que vivemos, é preciso considerar o recrutamento a distância. Afinal, se trata de uma tendência cada vez mais em alta nas nossas vidas.

Quer saber como tornar o recrutamento online eficaz? Continue aqui no blog para saber mais!

Tenha a infraestrutura tecnológica necessária

Para conhecer possíveis candidatos a distância, os recrutadores precisam estar com os equipamentos certos. Todo o aparato tecnológico necessário precisa estar ao alcance desses funcionários. Eles precisam ter um computador ou notebook com sistema atualizado, câmera, microfone e internet de fibra ótica. Esses equipamentos eletrônicos são indispensáveis nesse momento.

Se as empresas não usarem computadores ou outros aparelhos, é ideal que emprestem aos funcionários para que trabalhem de casa. Boa conexão de internet é imprescindível para que haja uma comunicação sem imprevistos. Afinal, não queremos perder o contato com os futuros funcionários da empresa.

Planeje um bom roteiro de seleção

A seleção presencial de candidatos costumava ser satisfatória com muitas etapas e atividades coletivas. Precisamos de um roteiro bem estruturado e que proponha desafios, provas e testes que sejam produtivos. Mesmo a distância, os candidatos precisam estar cientes que participam de uma seleção para uma vaga de emprego.

Construir um processo de seleção é uma forma infalível de manter tudo em ordem e sem problemas. Mesmo que recrutemos de longe, precisamos estar preparados. Isso ajuda a conduzir entrevistas, ter um discurso mais amplo e proteger os dados seguindo a LGPD. Tudo isso para oferecer uma experiência agradável e justa para os candidatos.

É ideal que no roteiro de seleção esteja explicado quais etapas devem ser seguidas no processo. Além de quem está responsável por fases específicas e o tempo de duração. É um controle que proporciona conforto tanto para recrutadores quanto para candidatos.

Conheça as vantagens do recrutamento a distância

Uma das principais vantagens do recrutamento a distância é a rapidez no processo seletivo. O presencial costumava ser mais demorado e ter uso de folhas de papel. Isso ficou no passado, porque o recrutamento online chegou para ficar e sua empresa precisa estar preparada para isso.

Com o recrutamento digital, empresas convocam uma equipe mais preparada e poupam tempo e dinheiro. Não há gastos com aluguel de salas ou conta de luz, tudo é feito diretamente da residência dos recrutadores. Imagine quanto sua empresa economizará nesses meses de recrutamento online.

Talvez seja uma boa opção manter esse regime mesmo após a pandemia. A Weseek tem os melhores planos de recrutamento online para empresas. Usamos a tecnologia para unir profissionais capacitados a empresas renomadas. Ainda mais nesse momento tão difícil, precisamos nos adaptar quanto antes.

É fundamental adaptar as estratégias de recrutamento à realidade remota. Se for possível, convide alguns candidatos para conhecerem o escritório, seguindo as normas sanitárias. É essencial reconhecer sua agilidade de raciocínio no processo de seleção para ter êxito. Somente assim, o recrutamento a distância será favorável à empresa.

Só há vantagens no recrutamento online. Entre em contato com a Weseek e saiba como podemos ajudar sua empresa a crescer!

Categorias
Recrutamento e seleção

Como fazer um processo de recrutamento de liderança para a empresa?

O papel do líder é vital para que qualquer empresa possa expandir seus negócios, já que ele é responsável por gerir atividades e equipes. Contudo, esse é um perfil que tem características e competências bastante complexas e específicas. Afinal, elas devem estar totalmente alinhadas com a cultura organizacional da empresa para que os resultados sejam positivos. Daí a importância de um processo de recrutamento de liderança bastante cuidadoso.

Então, como estruturá-lo? Quais são seus principais diferenciais e desafios? Confira a resposta para essas perguntas durante a leitura deste artigo!

Quais são os diferenciais de um recrutamento de liderança?

Cargos de liderança têm um valor alto para as empresas. Não apenas por questões de organização de tarefas ou pela consequência de que um negócio bem gerido traz retorno financeiro. Um líder de verdade exerce uma influência positiva no desempenho de todos os outros colaboradores. Sendo assim, o recrutamento de liderança deve conter dinâmicas e testes práticos que atestem essas habilidades.

Contudo, não se esqueça: líderes também cometem erros. Portanto, é fundamental ter um olhar integral para o profissional durante o treinamento. Assim, para uma análise mais acertada, considere sua experiência, seu histórico na empresa, caso seja uma seleção interna, e sua postura geral.

Quais são os principais desafios para esse momento?

Nem sempre um líder se manifesta como tal de imediato. Por vezes, um candidato ou colaborador nunca atuou nessa função, mas tem todas as habilidades necessárias para crescer e se desenvolver no posto. Sendo assim, é fundamental dar uma chance para esses perfis participarem também do recrutamento de liderança. Pode ser preciso apenas lapidar esse profissional posteriormente, para aproveitar todo seu potencial.

Há outros casos de líderes que estão há muito tempo no mercado, mas que mudam de área ou que precisam se atualizar. O desafio passa a ser treiná-los para essa nova realidade, de modo a integrá-los junto às suas equipes e setores.

Como estruturar um processo seletivo para cargos de liderança?

Agora, vem a parte mais importante: estruturar um processo seletivo para cargos de liderança. Veja algumas dicas que podem ajudar!

Identifique talentos

Seja entre colaboradores ou candidatos, identifique talentos capacitados para a vaga. Durante as entrevistas, observe seu poder de comunicação e habilidade de negociação.

Conheça a necessidade do setor

Também, é muito importante saber o que o setor que procura por um líder precisa. Como é o dia a dia e o fluxo de trabalho ali? Quantas pessoas ficarão sob a supervisão do líder? Qual é a importância da atividade para a empresa? Cada um desses detalhes ajudará a definir o perfil certo e a encontrar candidatos mais comprometidos com os valores organizacionais.

Avalie acertos e erros

Você também pode promover alguns testes para explorar o histórico do profissional. Questione desafios enfrentados, peça para que ele descreva erros e acertos como líder e quais decisões ele precisou tomar em momentos de crise. Assim, ficará mais fácil analisar o nível de aderência do candidato à vaga e confirmar se o perfil identificado se encaixa na necessidade do setor.

O recrutamento de liderança é desafiador, mas quando o colaborador certo é encontrado, a empresa só tem a ganhar. Então, não deixe de aplicar essas dicas para ter sucesso no processo seletivo.

Se tiver dificuldades em fazer o alinhamento de perfil, já sabe, não é mesmo? Entre em contato conosco para garantir uma contratação impecável!

Categorias
Inovação e tecnologia

Análise preditiva no RH: entenda o que é e como colocar em prática

O sucesso na gestão de RH depende de muitas coisas, como da capacidade de antecipar cenários e realizar os movimentos competitivos certos. Sendo assim, torna-se crucial falar em análise preditiva no RH, suas aplicações e técnicas avançadas.

Em resumo, pense na análise preditiva como um conjunto de passos para que a empresa e, especificamente, o RH consigam antecipar cenários futuros com uma margem satisfatória de acerto. Desse modo, é possível planejar ações e reduzir o número de falhas operacionais. Adiante, ganhamos profundidade no assunto, explicamos o que é análise preditiva e como colocá-la em prática dentro do setor de RH. Continue com sua leitura!

Afinal, o que é análise preditiva?

A análise preditiva consiste no uso de grande volume de dados para identificar padrões e, então, fazer algumas inferências sobre o futuro da empresa e da gestão de pessoas. É como olhar cuidadosamente para os dados e entender o que eles estão dizendo sobre o futuro.

Um gestor pode, por exemplo, analisar os dados históricos de performance do time e projetar o nível de assiduidade do próximo mês, predizendo seus números. Assume-se, em geral, uma margem de erro, entendendo que a técnica de predição não é perfeita.

É importante destacar que a análise preditiva depende de boas técnicas estatísticas, além do uso de dados volumosos e verídicos. Ou seja, não é algo mágico e feito de qualquer forma. É um processo meticuloso que exige dedicação e aplicação de tecnologias de ponta.

Como fazer análise preditiva no RH?

Como explicado, a análise preditiva depende de algumas coisas, como bons dados, tecnologias de ponta e métodos sofisticados. Sem isso, provavelmente, nada será feito. Também é importante contar com motivação e disposição para aprender sempre.

Os passos necessários à predição podem variar, mas alguns dos mais importantes são:

  • coletar dados volumosos e verídicos sobre o que deseja antecipar;
  • limpar e organizar esses dados com o uso de boas tecnologias;
  • verificar os padrões existentes nos dados (e o que eles estão dizendo);
  • projetar seus dados para o futuro, prevendo o que acontecerá;
  • assumir uma margem de erro, entendendo que o processo não é perfeito;
  • fazer tudo novamente, no intuito de descobrir e aprender coisas novas.

Veja, portanto, que o processo de análise preditiva não é tão simples. No entanto, também não é algo excessivamente complexo. Mesmo empresas jovens e menores, que contam com poucos recursos, podem antecipar cenários e obter os benefícios da análise preditiva.

Por que fazer a análise preditiva?

Agora que entende o que é e como fazer a análise preditiva, fica uma última pergunta: por qual razão investir recursos estratégicos nisso? Há muitas respostas, sendo que, em última análise, a predição aumenta a competitividade da empresa e do setor de RH.

O mais importante é entender que, ao antecipar cenários, você pode planejar-se melhor, posicionar corretamente seus recursos, definir metas mais realistas e evitar a ocorrência de problemas indesejados. Assim, empresa, RH e colaboradores são bastante beneficiados.

Veja que agora você está por dentro do tema. Lembre-se de que a análise preditiva no RH refere-se ao futuro, ao uso de grandes volumes de dados e a boas tecnologias. Tal técnica garante vários benefícios ao empreendimento e ao RH, tornando-os mais precisos e ágeis.

Então, gostou do nosso artigo? Aproveite para continuar aprendendo conosco e receber nossas novidades diretamente em seu e-mail. É só assinar nossa newsletter!

Categorias
Recrutamento e seleção

5 dicas para reduzir o tempo de fechamento de vagas no recrutamento

O tempo de fechamento de vagas de emprego em uma empresa é um ponto essencial para resultar em ganhos ou perdas para a organização.

O espaço de tempo que um processo de recrutamento e seleção leva para acontecer pode servir como KPI de métrica para avaliar como essa atividade está se desenvolvendo na empresa. Reduzir esse tempo de fechamento de vagas pode acelerar algumas práticas, como o preenchimento da vaga, as atividades que voltam a acontecer, os resultados que acontecem rapidamente etc.

Quer conhecer alguns métodos de acelerar o recrutamento na sua empresa? Continue lendo!

1. Estabeleça prazos

Qualquer processo de recrutamento e seleção que a empresa realiza vem permeado de determinações que precisam ser cumpridas com responsabilidade para que o planejamento se cumpra e os objetivos sejam conquistados.

Avaliar e estabelecer os prazos para todas as etapas do processo é essencial para que as fases se cumpram no tempo determinado e os resultados sejam apresentados de forma breve.

2. Tenha um banco de dados organizado

Uma ótima decisão para preencher as vagas com candidatos mais próximos aos requisitos que a empresa determina é, a princípio, recorrer aqueles currículos que estão no banco de dados da empresa. Esses dados são informações pessoais dos candidatos, e por isso, precisam ser guardadas com segurança pela empresa.

Nesse caso, existem alguns candidatos que já percorreram algumas fases de processos seletivos anteriores, o que prova que o seu currículo já foi selecionado alguma vez e ele pode ter a oportunidade de passar por um novo processo de recrutamento.

3. Elimine duplicidade de tarefas no recrutamento

Realizar o recrutamento e seleção de forma tradicional é motivo de risco em algumas etapas da seletiva, entre elas, a duplicidade de tarefa. A questão é que esse erro resulta em perda de tempo, pois enquanto a repetição acontece, outras atividades deixam de acontecer. Além de atrapalhar o recrutamento, a empresa passa por um sério risco de descredibilidade diante dos candidatos.

4. Escolha bem os recursos para realizar o R&S na empresa

Fazer as escolhas corretas das ferramentas que vão ser utilizadas no momento de fazer o recrutamento na empresa pode reduzir o tempo dessa ação. Por exemplo, a entrevista pode acontecer por meio de vídeo entrevista. Esse método é gratificante tanto para o candidato como para a empresa, pois ela pode acontecer no momento em que for favorável para ambos.

5. Contrate uma plataforma de recrutamento

Com os avanços das tecnologias, desfrutar delas ainda é o melhor negócio. Existem no mercado organizações de alta competência para realizar processos de recrutamentos rápidos, eficazes e com o mínimo de possibilidade de erros ao preencher as vagas de emprego.

Essas empresas se utilizam de plataformas que cuidam dos processos do início ao fim, e, assim, dão a oportunidade para os gestores do RH realizarem outras atividades que beneficiem os funcionários.

Foi possível observar que é indispensável conhecer algumas estratégias para reduzir o tempo de fechamento de vagas na instituição, para que as atividades sejam reativadas com brevidade, pois, do contrário, o atraso poderia trazer algumas perdas, e, assim, diminuir a sua produtividade. Por isso, vale contar com uma empresa especializada no assunto.

Realizar um recrutamento e seleção rápido pode fazer uma grande diferença nos resultados da sua empresa, não é? Então, faça contato conosco, somos experientes em solucionar o preenchimento de vagas em tempos hábeis e escolher os melhores talentos para a sua empresa.

Categorias
Inovação e tecnologia

Entrevista online: conheça as vantagens e saiba como colocar em prática

O RH tem passado por uma forte transformação digital e, como reflexo, muitos de seus processos estão sendo digitalizados. A entrevista online é um bom exemplo disso. Por meio dela, candidato e empresa conversam por meio de videochamadas.

Felizmente, esse modelo de entrevista digital oferece uma série de vantagens à empresa e ao profissional, como mais agilidade e flexibilidade, além da redução de custos não estratégicos. Desse modo, fica mais fácil construir um RH ágil nas rotinas de trabalho.

Para a realização de uma boa entrevista online, porém, não basta vontade. É preciso ter organização, boa comunicação, processos funcionais e tecnologia de ponta. Do contrário, todo o processo de seleção será mais moroso e deficitário, o que não é bom para nenhum dos envolvidos.

Nos tópicos seguintes, vamos explicar o que é entrevista online, quais as vantagens e como colocá-la em prática. Continue a leitura!

O que é uma entrevista online?

O processo de entrevista você já conhece. É o momento em que candidato e recrutador conversam para esclarecer eventuais dúvidas e avaliar se há alinhamento técnico e comportamental para que o profissional seja contratado pela empresa.

Existem diferentes métodos para a realização de uma entrevista. O mais comum é a entrevista presencial, na qual os participantes encontram-se “cara a cara” para tirar suas dúvidas e avaliar se existe fit cultural.

Também existem as entrevistas às cegas, nas quais o selecionador não vê o candidato e as etapas iniciais são feitas por meio de ligações telefônicas. O objetivo é mitigar eventuais erros com qualquer tipo de preconceito. Outra possibilidade é a entrevista por vídeo, na qual o candidato grava um vídeo (geralmente seguindo um roteiro) e depois envia para o selecionador.

Um modelo mais frequente e flexível é a entrevista online. Nesse caso, o candidato e seu recrutador encontram-se por meio digital, visual e de maneira síncrona. O encontro é feito por vídeo e com contato imediato, o que confere mais qualidade a todo o processo.

A entrevista online é muito comum para contratações que envolvem uma longa distância geográfica entre candidato e selecionador, assim como nas etapas iniciais do processo de recrutamento e seleção.

Além de tudo, setores de RH mais modernos estão utilizando esse método com mais frequência, tendo em vista as vantagens que oferece para o talento e para a empresa.

Quais as vantagens da entrevista online?

São muitos os benefícios ligados ao assunto. Em última análise, a entrevista online permite que o RH tire mais proveito do recrutamento digital, afinal, torna-se mais fácil encontrar e contratar, remotamente, candidatos talentosos. A seguir, entenda outros benefícios.

Aumenta a flexibilidade das entrevistas

Entrevistas online são muito flexíveis. Essencialmente, elas demandam uma boa conexão com a internet e uma ferramenta de vídeo funcional. Depois, é só se conectar e começar a entrevista. Isso simplifica a vida tanto do selecionador quanto do candidato.

O recrutador pode realizar todo o processo ao longo de uma viagem de negócios ou até mesmo no seu home office. Por sua vez, o candidato não precisa sair cedo de casa e “encarar” o trânsito da cidade. Essa flexibilidade gera conforto, economiza tempo e energia.

Permite que o entrevistador tenha mais alcance

Encontrar talentos não é tarefa fácil. Por vezes, o RH precisa expandir seu raio de busca e recrutar profissionais de cidades ou estados diferentes, talvez até mesmo alguém que está fora do país. Nesse caso, agendar uma entrevista presencial pode não ser algo viável.

Novamente, a entrevista online é uma solução. Ela encurta o distanciamento, visto que tudo é feito pela internet. Assim, o RH tem mais liberdade para ampliar seu raio de busca e entrevistar pessoas distantes, sem que isso seja muito oneroso ou complexo.

Aumenta a velocidade da seleção

Selecionar bons talentos não é uma corrida, mas dificilmente o recrutador tem tempo de sobra. Sendo assim, é preciso buscar por métodos que aumentem a velocidade da contratação, garantindo que o candidato certo seja logo identificado e integrado.

Nesse caso, a entrevista online ajuda bastante. Ela permite a construção de um fluxo de trabalho digital que inclui o agendamento, a realização da entrevista e o envio do feedback. Tudo digital. Assim, o processo ganha fluidez e precisão, além de economia de tempo.

Note, então, que a entrevista digital gera três grandes vantagens: flexibilidade, cobertura e agilidade. Juntas, elas podem tornar o setor de RH mais competitivo e perspicaz na atração, reconhecimento e seleção de talentos, somando vantagem competitiva à empresa.

Como aplicar a entrevista online em uma empresa?

A aplicação da entrevista online passa por três grandes blocos: planejamento, execução e controle. Será necessário planejar sua entrevista (local, horário, meio etc.), executar esse planejamento e, efetivamente, entrevistar os candidatos. Por fim, avaliar os resultados obtidos e fazer suas considerações finais. A seguir, explicamos como cumprir esse fluxo.

Determine os parâmetros iniciais da sua entrevista

Na entrevista online, você e o candidato precisam ter clareza sobre alguns parâmetros básicos e indispensáveis. Quando a entrevista será feita? Em qual horário vai começar? Quanto tempo vai durar? Quanto antes definir estes parâmetros, melhor.

Para definir essas questões, é preciso ter atenção e verificar não só a sua disponibilidade, mas a do candidato também. É preciso que ambos tenham a agenda livre para o dia e horário sugerido, do contrário a entrevista pode não acontecer.

Selecione o melhor meio para a entrevista online

Se anteriormente você definiu o “quando” a entrevista será feita, agora é o momento de esclarecer o “como”. A entrevista online precisa de um meio seguro, leve e funcional para estabelecer a conexão entre candidato e recrutador.

Atualmente, existem diversos meios para entrevistas online. Alguns deles são gratuitos e outros pagos. Além disso, alguns são desenvolvidos especificamente para entrevistas online e contam com funções avançadas. Portanto, avalie o que melhor se ajusta a sua empresa.

Estabeleça o roteiro da sua entrevista

Existem diferentes estratégias para a condução de uma entrevista, seja ela presencial ou online. Algumas entrevistas ocorrem de maneira não estruturada, sendo que o recrutador faz perguntas “avulsas” ao candidato. Já outras são estruturadas e seguem um roteiro específico.

O ideal é a adoção de uma entrevista com roteiro. Para isso, tome nota das principais questões que serão feitas na entrevista online, quanto tempo tem disponível para cada uma delas e o que não pode ser deixado de lado. Desse modo, sua entrevista será mais precisa.

Avalie as configurações técnicas para a entrevista

Se você tem clareza sobre quando a entrevista vai ser feita, por meio de qual canal e qual roteiro será seguido, é hora de avaliar questões mais técnicas. A entrevista online depende de alguns cuidados adicionais, por exemplo:

  • envio de um convite (link) para o candidato;
  • checagem da webcam, microfone e outros hardwares;
  • checagem do software de entrevista online;
  • análise da qualidade e disponibilidade da internet.

Qual o prazo ideal para a checagem técnica? Não há uma regra! O melhor é fazer isso com algum tempo de folga, pois assim poderá fazer ajustes adicionais. Lembre-se de instruir o candidato a fazer o mesmo, do contrário poderá ter problemas de conectividade.

Realize a entrevista na data e horário agendado

Chegou a hora da entrevista. Ótimo. Com alguns minutos de antecedência, envie um e-mail ou SMS para o candidato e lembre-o do encontro agendado. Peça para que ele seja pontual e preze pela mesma pontualidade. No horário combinado, inicie a entrevista online.

O processo de entrevista é basicamente o mesmo da entrevista presencial. Apresente-se, fale um pouco da organização e do cargo, então siga o roteiro elaborado para sua entrevista. Deixe o candidato a vontade e reserve um tempo para responder as dúvidas que surgirem.

Tome nota dos resultados da sua entrevista e do que pode ser melhorado

Por fim, registre sua entrevista. Tome nota das características positivas e negativas do candidato, bem como dos principais pontos tocados ao longo da entrevista. Essas anotações vão ser úteis para definir quem vai para a próxima etapa do processo de seleção e quem não vai.

Avalie, também, a sua entrevista online. Qual foi o tempo médio da entrevista? Houve algum problema técnico? O que pode ser melhorado no próximo encontro online? Desse modo, poderá fazer pequenos ajustes e garantir a melhoria do processo de contratação.

Note, portanto, que a entrevista digital começa com o planejamento (dos parâmetros) e termina com o controle dos resultados obtidos, tendo por objetivo corrigir eventuais falhas. Assim, com o tempo, seu processo de será mais ágil, preciso e funcional.

Quais os principais desafios da entrevista online?

A entrevista online promove uma série de vantagens, tanto à empresa quanto ao talento; mas também oferece alguns desafios. É preciso saber lidar minimamente com a tecnologia, comunicar-se bem com os candidatos e organizar seu processo. Entenda melhor, adiante.

Manter uma ótima comunicação com os talentos

O primeiro desafio é evitar que a falta de comunicação afete o processo de recrutamento e seleção. A entrevista online ainda é algo novo e pode deixar o candidato inseguro. Logo, você deve investir na ótima comunicação, garantindo que o profissional saiba exatamente o que fazer e o que esperar.

Felizmente, esse não é um desafio grandioso. Existem diversos canais que facilitam a comunicação entre candidatos e RH, como sistemas de contratação ou páginas de carreira. É preciso avaliar qual canal melhor se ajusta ao perfil da sua empresa.

Lidar minimamente bem com a tecnologia

Alguns candidatos podem ter dificuldades para lidar com a tecnologia, seja porque não sabem como manusear um item tecnológico, seja porque ainda não se sentem seguros com isso. Nesse caso, a entrevista online pode ser prejudicada — talvez até inviabilizada.

Nesse contexto, é preciso esclarecer duas coisas: i) entre os mais jovens, o nível de analfabetismo tecnológico é baixo; ii) para os cargos mais elevados, o analfabetismo tecnológico é quase nulo, pois seus ocupantes estão há mais tempo no mercado e convivem com a tecnologia.

Organização de processos mais volumosos

Um terceiro desafio é o de manter a organização do processo, à medida que mais candidatos precisam ser entrevistados virtualmente. Entrevistar uma ou duas pessoas pode ser fácil, mas fazer o mesmo com três dúzias é bem mais complexo.

Nesse caso, será necessário dedicar mais recursos ao processo, como tempo e energia. Também pode ser bastante útil contar com a ajuda de uma consultoria especializada em recrutamento e seleção digital. Assim, seu recrutamento online terá mais chances de ser bem-sucedido.

Quais ferramentas usar para a entrevista online?

A ferramenta ideal depende muito do perfil da sua empresa e do candidato, bem como do orçamento disponível ao RH. Como explicado, algumas ferramentas online são gratuitas e outras pagas. Além disso, algumas são específicas para entrevista online.

Uma ferramenta especializada conta com diversas funcionalidades. Algumas apresentam módulos de reconhecimento facial que ajudam a compreender as expressões e emoções dos candidatos ao longo da entrevista. Assim, fica mais fácil interpretar o candidato.

Outra vantagem é que, com uma boa ferramenta, a entrevista pode ser gravada. Assim, o recrutador pode revisar cada entrevista feita e compartilhá-la com pessoas interessadas, como o líder imediato do cargo, o que gera ainda mais precisão ao processo.

Para selecionar a ferramenta de entrevista online ideal, pense em três questões-chave:

  • quais são as demandas do meu processo de entrevista online?
  • quais fornecedores são especializados e podem oferecer as melhores soluções?
  • qual ferramenta propõe a melhor relação entre custo e benefício?

Veja, agora você está por dentro do assunto, entende o que é entrevista online, quais suas vantagens e como aplicá-la, além de quais são os desafios envolvidos.

É necessário destacar que a entrevista digital é parte de uma estratégia maior de transformação digital do RH. Quando bem aplicada, essa estratégia pode promover grandes resultados à empresa.

Para realizar uma boa entrevista online, lembre-se de adotar boas tecnologias. Há diversos softwares, sendo necessário avaliar o que mais bem se ajusta à sua empresa. Você também pode contar com a ajuda de uma consultoria especializada em recrutamento e seleção digital.

Gostou do nosso artigo, não é mesmo? Aproveite, então, para continuar acompanhando e recebendo nossos conteúdos diretamente em seu e-mail. É só assinar nossa newsletter!

Categorias
Inovação e tecnologia

O “match” nos valores e propósitos do colaborador e empresa ajuda na felicidade corporativa

Renata Rivetti, especialista em felicidade corporativa e diretora Reconnect | Happiness at work

Segundo blog da Weseek, uma contratação inteligente reduz o turnover da equipe. A fase de recrutamento é um dos aspectos que se trabalha na jornada do colaborador e a contratação inteligente analisa aspectos como o fit cultural do entrevistado com a empresa, seus valores e propósito. Quando há esse “match” fica mais fácil trabalhar na retenção de talentos e também na motivação e felicidade desse colaborador.

As novas gerações de millenials e gen-Z questionam ainda mais o propósito e valores da empresa. Segundo pesquisa do Employment & Employability Institute, 75% dos millennials buscam flexibilidade, além de equilíbrio entre vida pessoal e profissional e 53% querem trabalhar em empresas com valores e culturas que admirem.

Com esses dados fica cada vez mais claro que investir em um bom recrutamento é peça chave da felicidade corporativa e assim, da retenção de talentos. Não adianta oferecer gestos comuns que gerem satisfação se o colaborador não tem orgulho, senso de pertencimento, e admiração pela empresa. Se há divergência nos valores pessoais e da empresa isso irá impactar na motivação e assim, na produtividade.

Depois, é necessário que o tema da felicidade passe por toda a jornada do colaborador, e que se mantenha sempre vivo na empresa e seja compreendido e trabalhado pelas lideranças. A felicidade corporativa não é um tema somente do RH. Não adianta trabalhar na atração e em uma contratação inteligente e não trabalhar o desenvolvimento do plano da felicidade organizacional ou até no offboarding.

O colaborador deve se tornar o foco da empresa, seu principal diferencial, seu cliente, seu influenciador. Investir em sua felicidade faz parte de um trabalho sustentável de reter talentos e manter uma cultura organizacional produtiva e positiva. E todas as etapas desse plano são essenciais, começando por valores claros, propósito sustentável e social e colaborador no centro da estratégia. O mundo mudou, as pessoas se tornaram mais questionadoras e reflexivas e as empresas têm a chance de fazer diferença e diferente.

Categorias
Sem Categoria

LGPD: O Novo Normal do RH

Eric Alberto, inconformado em viver numa era que dados são os bens mais valiosos da sociedade e que muitas empresas brasileiras carecem de pessoas que, genuinamente, entendam os modelos de negócio e que proporcione soluções capazes de atender exigências, legais e técnicas, de modo a agregar, efetivamente, valor ao negócio, e como entusiasta de inovações e rupturas tecnológicas, nos últimos anos vivenciou uma série de pesquisas, estudos e benchmarkings internacionais (EUA, Alemanha, Israel, Suécia, Estônia, etc.), onde se especializou em Privacy and Data Protection e a partir disto fundou a PC 360, uma consultoria especializada em tecnologia, segurança da informação, privacidade e proteção de dados, que entende o negócio de seus Clientes e aplica este know-how em prol da inovação.

Em tempos de crise e constantes mudanças, originadas, dentre outros fatores, por um contexto de combate à pandemia e isolamento social, a percepção de que em algum momento a vida voltará ao normal está minguando, de modo que passamos a avistar que algumas dessas mudanças vão se alongar por um bom período de tempo e que outras serão permanentes, surgindo o “novo normal”.

E, com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) vigorando desde setembro de 2020, mais mudanças permanentes irão influenciar o dia a dia de profissionais das mais diversas áreas, sendo esse artigo destinado, em especial, ao novo normal da área de recursos humanos.

Sancionada em 2018, a Lei 13.709/2018, denominada como Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), regulamenta o tratamento de dados pessoais, em meios físicos ou digitais, realizado por pessoa natural ou por pessoa jurídica, de direito público ou privado, e tem o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade.

E como as mudanças no RH são influenciadas pela LGPD? 

Desassociar dados pessoais da área de recursos humanos é uma tarefa inexequível, visto que estas informações são necessárias e, muitas vezes, obrigatórias, durante toda a jornada do colaborador na empresa, desde a seleção ao desligamento e, em alguns casos, até mesmo após.

É enorme a quantidade de informações tratadas nas ações rotineiras do RH, são documentos de identificação, comprovantes de endereço, registros médicos, histórico profissional, informações financeiras, dentre outras, sendo essencial estar em conformidade com as disposições da LGPD em cada fluxo de tratamento de dados pessoais.

Entre as atividades da área de RH que requerem uma atenção especial quanto a LGPD, destacam-se: 

– Processo seletivo: gestão de currículos e de informações de candidatos;

– Processo de admissão: documentação admissional, compartilhamento com fornecedores de benefícios, sindicatos, órgão públicos etc.;

– Periódicos: compartilhamento com contabilidades, elaboração de folha de pagamento, exames periódicos, pagamento etc.;

– Processos internos: divulgação de contatos, informações de emergência, liberações de acesso, entre outros;

Em todos os fluxos de tratamento de dados pessoais é primordial garantir os princípios da Lei (finalidade, adequação, necessidade, livre acesso, qualidade dos dados, transparência, segurança, prevenção, não discriminação, responsabilização e prestação de contas) e para isto, recorrer a transformação digital destes processos tem sido o novo normal do RH.

Esta “digitalização” dos processos permite uma série de automações e facilidades, entretanto é fundamental que se estabeleça um processo de avaliação destas tecnologias, tanto ao que se refere a privacidade quanto a segurança da informação, a fim de que esta transformação não seja mais um item de risco à privacidade.

Para muitos daqueles que estão envolvidos no contexto do RH, há um longo caminho a percorrer para estar em conformidade com a LGPD, isto, sem falar na concorrência com as ações necessárias em razão de crise, combate à pandemia, isolamento social, dentre outras. 

Caso sua empresa precise identificar e/ou realizar as modificações necessárias para ficar em conformidade com a Lei, é sempre recomendável pedir a ajuda de uma consultoria especializada na prestação de serviço de adequação LGPD e Segurança da Informação, bem como para a realização de eventuais avaliações de tecnologias de automação dos processos de RH. Assim, sua empresa poderá ficar em dia com a privacidade e a proteção de dados e evitar problemas futuros.