fbpx

Saiba o que é employer branding e qual a sua importância nos dias de hoje

Recrutamento Digital: tudo que você precisa saber em um só lugar!

Você já ouviu falar em employer branding? Basicamente, essa estratégia busca reter talentos e aumentar a competitividade da sua empresa por ser um bom lugar para trabalhar.

Essa ideia já vem sendo bastante explorada por companhias mundiais. Tanto é que muitas delas se candidatam ao prêmio Great Place to Work. A questão é que qualquer empresa pode fortalecer sua marca e alcançar um patamar diferenciado no mercado.

Como atingir esse objetivo? É o que vamos mostrar neste conteúdo. Então, que tal entender melhor esse conceito, sua importância e ver dicas práticas para aplicá-lo no seu negócio?

O que é employer branding?

A chamada marca do empregador consiste em diferentes estratégias e ferramentas que agregam valor à sua empresa e mostram essas vantagens para o mercado. O objetivo é gerar uma percepção positiva para sua companhia ser considerada um bom lugar para trabalhar. Assim, atrai mais talentos e tem mais facilidade para retê-los.

Por esse motivo, o employer branding é considerado um fator de vantagem competitiva. Afinal, quando você mantém os melhores profissionais do mercado no seu quadro de colaboradores, é claro que tende a oferecer produtos e serviços com mais qualidade.

Como consequência, conseguirá satisfazer mais os clientes e poderá fazer seu negócio crescer de forma sustentável. Por isso, a proposta é reforçar os pontos positivos da empresa para mostrar como é trabalhar nela, assim como fortalecer sua imagem e sua reputação.

Ao mesmo tempo, você constrói equipes de alta performance, porque pode escolher os candidatos com a melhor adequação para a vaga. Isso também leva a um aumento da produtividade.

Em outras palavras, o objetivo é implementar um RH estratégico, que deixe sua empresa mais bem posicionada. Assim, há mais satisfação com o ambiente de trabalho e os colaboradores “vestem a camisa” da companhia.

Qual a importância da gestão de talentos?

Uma marca forte e bem consolidada no mercado tem mais chance de atrair talentos a custos baixos. É isso que a pesquisa The Ultimate List of Employer Brand Statistics mostrou. No levantamento, ficou constatado que:

  • 72% dos recrutadores do mundo acreditam que o employer branding é um fator decisivo nas contratações;
  • 38% entendem que a taxa de retenção é a principal métrica para mensurar a força da marca empregadora;
  • 28% da rotatividade de colaboradores foi reduzida nas empresas que adotam essa estratégia.

Tudo isso se reflete em diminuição de custos. Quando você efetiva um processo de recrutamento e seleção mais preciso e alinhado às suas expectativas, há uma chance maior de encontrar o candidato ideal para a vaga.

A consequência é o fortalecimento do reconhecimento de marca, que influencia de forma direta para atrair e reter os melhores talentos do mercado. Achou interessante? Ainda existem outros benefícios de usar a estratégia da marca empregadora. Veja quais são eles!

Atrai candidatos mais alinhados

O processo seletivo tem como principal propósito encontrar o candidato certo para a vaga. A ideia é que ele esteja alinhado em todos os aspectos, ou seja, desde as questões culturais e comportamentais — para que ele se adapte bem ao ambiente de trabalho — até as técnicas e aquelas relacionadas às expectativas para o futuro.

Assim, além de cumprir sua função da maneira certa, a pessoa contratada também tem um plano de carreira que desenvolve na própria organização. Sabe aquela história de “onde você quer se ver daqui a cinco anos”? É exatamente isso. Você ajusta as expectativas de ambas as partes — empresa e candidato — para firmar uma parceria de longo prazo.

Com o employer branding, você alcança esses objetivos e ainda encontra os candidatos esperados com rapidez. Isso porque você divulga os seus valores e tem um discurso direcionado a esses profissionais. Além disso, procura esses talentos nos lugares certos.

Melhora os resultados da empresa

A empresa que trabalha a marca empregadora tem colaboradores mais engajados e produtivos. Essa sensação de pertencimento acontece porque os profissionais se identificam com os valores e a cultura divulgados.

Esse benefício também é gerado pela formação de uma equipe de alta performance. Como os talentos atraídos são os melhores do mercado, você tem profissionais engajados e que conhecem as boas práticas. Com isso, há eficiência, satisfação do cliente e progresso dos resultados.

Reforça os valores da organização

Sua empresa segue determinados valores, que precisam ser internalizados por todos os colaboradores. Com o fortalecimento da marca empregadora, você fortalece a sua cultura organizacional e conquista novos talentos.

Ao mesmo tempo, o volume de candidaturas aumenta, porque os profissionais já sabem o que esperar das suas vagas e da atuação na empresa. Com isso, aumenta a chance daqueles que estiverem alinhados se candidatarem.

Reduz o custo de recrutamento

Os gastos com uma nova seleção de profissionais são diminuídos com o employer branding. Por meio dessa estratégia, você já define quais características são necessárias à vaga e qual o perfil do candidato esperado. Desse modo, a atuação é mais precisa.

Junto a isso, os talentos são escolhidos de forma apropriada e permanecem mais tempo na empresa. Afinal, eles percebem que são valorizados e que a empresa investe em qualificação.

Aumenta as vendas

Esse benefício é indireto, mas bastante claro. Com colaboradores engajados e de alta performance, a qualidade dos produtos ou serviços é maior. Como consequência, os clientes se tornam mais satisfeitos e tendem a indicar a companhia para amigos ou familiares. A chance de voltarem a comprar e até se fidelizarem também é maior.

Como investir na organização para atrair talentos?

Os benefícios listados acima evidenciam que vale a pena investir no employer branding, certo? No entanto, é possível que você tenha dúvida sobre a melhor forma de colocar essa estratégia em prática.

Mais que ações aleatórias, é necessário adotar medidas estruturadas, que surtirão efeito em curto, médio e longo prazo. Desse modo, a empresa fica mais preparada para enfrentar os desafios e alcançar o sucesso.

Quer saber o que fazer? Veja as dicas abaixo.

Implemente uma cultura forte

A cultura organizacional é formada pelos princípios, crenças, valores internos e hábitos adotados pelos colaboradores, gestores e líderes. Você pode criar a sua e lutar para mantê-la e ser internalizada por todos, ou pode deixá-la ser criada todos os dias.

O fato é que sua empresa terá uma cultura específica. É possível mudá-la, mas é fundamental que você tenha algum controle sobre ela. É assim que esse aspecto é fortalecido e passa a ser compartilhado por todos os colaboradores.

Planilha de recrutamento

Para a marca empregadora, uma cultura forte é essencial para mostrar quais valores são adotados e o que é importante para aumentar a retenção dos profissionais. Por exemplo, a imagem do negócio será mais formal ou descontraída? Além de contribuir para o contato com os clientes, esse tipo de informação contribui no relacionamento com a equipe.

Antes de verificar a cultura organizacional, faça um diagnóstico da percepção atual dos colaboradores sobre o ambiente de trabalho. Veja quais são as expectativas, relembre sua missão, visão e valores e, então, reformule o que for necessário.

Preze pela boa comunicação

As mensagens repassadas são a base para atingir o público esperado. Além de alcançar os clientes, a comunicação também deve ser interna para fortalecer as ações com os colaboradores. Perceba que essa é uma forma de repassar as informações em primeira mão para quem trabalha na companhia e fazer esses talentos serem clientes fiéis.

Ofereça um ambiente de trabalho agradável

A oferta de um ambiente de trabalho positivo e produtivo é um dos fatores de motivação dos profissionais. Um local bem cuidado, limpo e organizado garante bem-estar, especialmente se fornecer períodos de descontração, como confraternizações.

Nesses momentos, o relacionamento entre a equipe também melhora e os colaboradores se sentem mais satisfeitos e motivados. Outra prática enquadrada nesse quesito é o feedback. Quando essa questão é bem trabalhada, você contribui para que todos estejam na “mesma página”.

Por isso, ofereça feedbacks constantes, tanto positivos quanto negativos. De um lado, elogie as ações positivas. De outro, mostre o que a empresa espera desse talento e como ele pode melhorar, considerando seus pontos fracos.

Saiba qual é o perfil do colaborador ideal

As diferentes vagas exigem perfis diversos de profissionais. Algumas requerem pessoas com capacidade de decisão. Outras são mais indicados para quem atenta aos detalhes. Ainda há aquelas que requerem agilidade.

Qualquer que seja o caso, é preciso pensar quais características o profissional contratado deve ter. Pense sobre as habilidades técnicas e interpessoais, os conhecimentos, os comportamentos etc. Desse modo, você encontra de maneira mais fácil o talento procurado, em vez de tentar várias vezes buscar a pessoa certa.

Defina seu Employment Value Proposition (EVP)

O EVP é a Proposta de Valor do Empregado. Nesse documento, devem ser registrados os diferenciais da sua empresa a partir do propósito do employer branding. Ao fazer isso, você destaca sua companhia de outros concorrentes, porque fica mais fácil implementar a estratégia.

Para isso, liste todas as ações a serem executadas para aperfeiçoar a vida e o desempenho dos colaboradores, bem como fortalecer sua marca como empregadora. Adote uma política de cargos e salários, recompensas e benefícios baseados em performance, planos de carreira etc.

Depois de definir o EVP, divulgue as informações para os talentos do mercado. Assim, você atrai os melhores e os retêm a partir do momento que coloca as definições em prática. Tenha em mente, portanto, que é preciso tirar a ideia do papel e efetivá-la para sentir os resultados esperados.

O que os candidatos mais valorizam em uma empresa?

As melhores empresas para trabalhar têm um employer branding forte. Isso significa que elas cumprem alguns requisitos para atrair a atenção dos profissionais. Por exemplo: oferecem uma cultura organizacional valorizada, têm uma boa política de carreira, sabem qual perfil de candidato desejam para cada vaga etc.

A dúvida que permanece é se os colaboradores valorizam esses aspectos. Na verdade, existem algumas variáveis mais interessantes e que podem ser trabalhadas pela marca empregada. Confira!

Bem-estar

A empresa deve investir em salário e benefício, mas muitas pessoas buscam qualidade de vida. O bem-estar é essencial para a valorização, motivação e engajamento do talento. Assim, ele sabe que a empresa tem interesse em suas ações e está ao seu lado, se precisar.

É o caso de compreender quando o colaborador ou seu filho tem um problema de saúde e o profissional precisa faltar. Ou de implementar programas de qualidade de vida, que incentivem a realização de exercícios físicos, meditação, prática de alimentação saudável e mais.

Inclusão

A diversidade é um ponto favorável para as empresas. Traz novos pontos de vista e ideias, que ajudam a efetivar uma cultura de inovação. É aquela prerrogativa de “pensar fora da caixa”.

Com a inclusão, novas oportunidades de crescimento surgem, tanto para os colaboradores quanto para a própria empresa. Os talentos sabem que conseguem crescer exercendo suas funções e se motivam para alcançar as definições do plano de carreira.

Salário

O salário ainda é importante, mas nenhuma quantia paga a qualidade de vida. Isso é o que as novas gerações pensam. Por isso, é tão difícil reter os millenials e outras pessoas mais novas.

Por isso, alie um salário justo às oportunidades de crescimento. Mostre como o profissional pode progredir na companhia e quais serão as recompensas que terá com o tempo. Ofereça, ainda, reconhecimento.

Reconhecer os pontos positivos de cada colaborador é o incentivador necessário para manter o profissional motivado. Portanto, ofereça feedbacks, faça avaliações constantes e mantenha um diálogo aberto.

Benefícios

Os benefícios obrigatórios precisam ser seguidos, porque é o que a legislação determina. Os outros podem ser flexíveis. No entanto, vale a pena adotar uma política diferenciada, especialmente se o salário está defasado.

Você pode adotar diferentes métodos para elaborar seu programa de recompensas. Eles podem ser baseados em metas setoriais, individuais e organizacionais. Veja o que é mais interessante para a sua empresa e adapte conforme a realidade do negócio.

Carga horária

Uma jornada de trabalho flexível costuma ser bastante valorizada pelos colaboradores hoje. Muitas vezes, essa carga horária vem acompanhada do home office. O motivo é simples: as empresas que adotam essa prática costumam ter o foco na produtividade. Por isso, o que importa é a realização das tarefas.

Com foco na marca empregadora, a carga horária flexível oferece o protagonismo para os profissionais, que podem tomar algumas decisões e se sentirem responsáveis pelos trabalhos que executam. Essa ação é ideal para pessoas proativas e que desejam se sentir valorizadas. Por isso, também é bom para sua empresa.

Como você pôde perceber, o employer branding é uma estratégia relevante para diferenciar seu negócio da concorrência e fortalecer a cultura organizacional. Mais que isso, é fundamental para atrair e reter talentos. Com isso, você tem uma equipe de alta performance e engajada ao seu dispor.

Gostou de saber mais sobre a marca empregadora e quer conhecer outras práticas eficientes para a gestão dos talentos do seu negócio? Assine nossa newsletter e receba as atualizações no seu e-mail!

Guia completo para a otimização de processos de recrutamento

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

1 Comentário

Fale o que você pensa