Categorias
Pessoas

Conheça, aplique e colha os resultados da gestão comportamental

Recrutamento Digital: tudo que você precisa saber em um só lugar!

A gestão comportamental pode ser definida como uma forma de gerenciar comportamentos para garantir a manutenção da ordem. Um exemplo clássico disso são as maneiras como os professores conduzem seus alunos em sala de aula, aplicando regras, horários, atividades e as consequências para suas atitudes.

Dentro das empresas, a manutenção de uma cultura coesa e saudável entre os times é essencial para promover um ambiente de trabalho amigável, que atenda aos propósitos da organização ao mesmo tempo em que desenvolve a employer branding.

Para que os profissionais de RH possam agir estrategicamente no fortalecimento dessa cultura, é essencial que entendam a importância da gestão comportamental e como desenvolvê-la de maneira a gerar impactos positivos. Vamos lá!

O que é gestão comportamental?

Dentro da sala de aula, o professor deve aplicar regras para que seus alunos tenham o comportamento esperado. No entanto, isso deve ser feito de modo interessante e respeitoso. Afinal, é preciso que os estudantes se comportem, mas não se pode esquecer da intenção de manter saudável a relação deles com a instituição e seus profissionais.

Assim é a gestão comportamental, uma forma de administrar o capital humano das empresas de maneira próxima, garantindo que os profissionais estejam alinhados aos valores do negócio sem prejudicar o clima da organização.

Para que isso seja possível, o foco de todo o processo é baseado no perfil comportamental, com base nas teorias de Maslow e Herzberg sobre motivação, objetivos e comportamento humano. 

É a partir delas que, hoje, os profissionais de RH conseguem criar estratégias de gestão de pessoas que vão ao encontro das demandas dos colaboradores e dos interesses do negócio.

Assim, as necessidades organizacionais andam lado a lado com as principais características dos profissionais, criando uma relação que beneficia ambos os lados. 

Como a gestão comportamental se aplica às empresas?

Felizmente, implementar a gestão comportamental nas empresas não é nenhum bicho de sete cabeças. Confira como fazer isso em 4 passos simples:

  1. com a ajuda de uma ferramenta de análise de perfil e teste comportamental, mapeie o perfil comportamental das equipes que já atuam no negócio, buscando compreender o cenário atual da empresa;
  2. liste os perfis predominantes de cada profissional e, depois de olhar individualmente, observe como esses perfis estão dispostos dentro de cada equipe;
  3. avalie os objetivos que a empresa deseja alcançar a longo prazo e o papel dos profissionais nesse processo, reduzindo os gaps de competências para cada cargo dentro da escala hierárquica;
  4. invista na formação dos colaboradores, para que desenvolvam suas qualidades e aprendam a lidar com as características que podem prejudicar o trabalho da equipe.

Qual é a importância da gestão comportamental?

A lista de benefícios promovidos pela gestão comportamental é extensa, e há alguns pontos que merecem destaque.

O primeiro deles é a melhoria no clima organizacional e na gestão de conflitos, fator determinante para garantir que os colaboradores estejam satisfeitos com seus empregos. Aqui, não podemos ignorar uma questão central para o mundo dos negócios: profissionais felizes produzem mais

Portanto, a aplicação da gestão comportamental é de extrema importância para que a empresa mantenha seus níveis de produtividade em alta e se fortaleça em um mercado tão competitivo.

Outra consequência da motivação e produtividade, frutos de uma boa gestão comportamental, é a redução do turnover. Quando a contratação não considera o fit cultural entre empresa e candidato, o comportamento do novo colaborador pode ser a mola propulsora da demissão.

Isso significa que habilidades técnicas não bastam para compor um time integrado e satisfeito. Para reduzir a rotatividade, é preciso focar no perfil comportamental, o que também leva à economia de recursos.

Planilha de recrutamento

Afinal, contratar e demitir profissionais custa caro para a empresa — e não só em relação ao dinheiro empregado com processos seletivos, treinamentos e demissões. O tempo que o time fica desfalcado ou em desarmonia pela entrada e saída frequente dos colegas desmotiva e tem impacto negativo sobre a produtividade.

Além disso, agindo assim, a empresa prejudica sua imagem como empregadora, espantando grandes talentos do mercado. Toda essa questão pode ser evitada com um modelo de gestão que considera as características comportamentais da sua equipe. 

Quais são os impactos práticos da gestão comportamental?

A gestão comportamental é um processo estratégico muito eficiente para os negócios. Veja como ela funciona na prática.

Processos seletivos

Para trabalhar o comportamento dos colaboradores, é preciso que tenham perfil compatível com os valores da empresa. Essa compatibilidade começa a ser medida logo no recrutamento e seleção.

Nesse momento, a definição de vagas é realizada com base em dados e considerando as características comportamentais desejadas nos candidatos. A avaliação dos profissionais, então, é feita a partir desse perfil ideal.

Mapeamento de perfil

Ainda falando sobre o processo de recrutamento, empresas que mapeiam os perfis comportamentais desejados constroem times de alto desempenho.

Isso, porque a gestão comportamental avalia a empresa como um todo, e os profissionais, individualmente. Essas análises mostram como cada integrante assume um papel no time e o que pode ser feito para melhorar tanto os resultados, como o clima organizacional.

Assim, toda vez que abre uma nova vaga, muda-se o foco da abordagem. No lugar de preencher a função, o RH passa a buscar a pessoa certa para trazer frescor e aprimorar o trabalho da equipe.

Avaliação de desempenho

Na gestão comportamental, o trabalho de análise é constante. Todas as ações e estratégias adotadas devem ser monitoradas. Além disso, os colaboradores e as equipes devem ser submetidos a avaliações de desempenho, o que inclui o trabalho do líder do time.

Quando a empresa conhece o perfil comportamental dos seus colaboradores, consegue identificar os possíveis motivos para gargalos e adotar estratégias mais efetivas para resolvê-los.

Como medir os resultados da gestão comportamental?

Como dissemos, a gestão comportamental exige análises constantes, e o esforço deve ser maior quando o modelo está sendo implementado. Afinal, como estamos falando de uma mudança na cultura do negócio, será normal encontrar gargalos.

Para medir os resultados, é necessário traçar metas e objetivos. Por exemplo, aumentar a retenção de talentos e diminuir os desligamentos em 30%; ou reduzir o tempo para fechar uma vaga em 70%. Pode-se, ainda, contar com ferramentas tecnológicas — como os softwares de recrutamento e seleção — que apresentem dados.

Usar a gestão comportamental para embasar todos os processos relacionados ao capital humano da sua empresa gera um benefício multilateral. A empresa ganha, os colaboradores ganham, a imagem do negócio se fortalece, e o gestor de pessoas otimiza e aprimora seu trabalho.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo! Aproveitando que está aqui, o que acha de saber mais sobre o mapeamento de competências?

Guia completo para a otimização de processos de recrutamento

Deixe uma resposta