fbpx

Saiba como tornar o RH mais estratégico com 7 dicas

Recrutamento Digital: tudo que você precisa saber em um só lugar!

Criar as condições para tornar o RH estratégico significa ajudá-lo a atuar como setor gerencial e importante na conquista de resultados. Paralelamente, é preciso encarar desafios que são recorrentes nessa área.

Fazer com que a diretoria perceba o valor do segmento, por exemplo, é uma das grandes dificuldades. Também, é necessário ter uma abordagem humanizada e melhorar o employer branding, ao mesmo tempo em que há a busca por eficiência e custo-benefício. No final, o grande obstáculo é equilibrar demandas tão diversas. Consegue se identificar?

A boa notícia é que é possível criar o RH estratégico com um plano estruturado para gerar resultados. A seguir, mostramos 7 dicas essenciais para concretizar esse cenário. Confira!

1. Crie um planejamento para a área

Como o objetivo é tornar o setor mais estratégico e capaz de entregar boa performance, é essencial elaborar um bom plano. Ele deve incluir um diagnóstico da situação atual e os resultados esperados em curto, médio e longo prazo. Assim, poderá servir como um “mapa” para orientar as decisões. A seguir, veja como criar um plano funcional!

Alinhe a atuação com metas estratégicas

Para que o RH estratégico se consolide, é essencial que a atuação esteja alinhada com a visão e as necessidades do negócio. A abordagem gerencial, inclusive, depende dessa capacidade de unir a atuação do setor para facilitar a conquista de performance capaz de impactar a empresa. Na criação do planejamento, vale entender quais são os objetivos estratégicos do negócio e seus principais problemas. A intenção é identificar como o RH deve agir para levar ao alcance dos resultados esperados.

Elabore um plano de ação e mudanças

Depois desse “reconhecimento do terreno”, devemos partir para um plano voltado para a execução. Isso significa, por exemplo, estabelecer quais serão as estratégias colocadas em prática — inclusive, sobre as mudanças. Pode ser o caso de definir novos meios de fazer uma análise de desempenho ou de reconhecer as necessidades de cada vaga. A definição das soluções e de como elas devem ser implementadas é fundamental.

Selecione os indicadores corretos

Para garantir que o planejamento seja efetivo, é indispensável poder acompanhar os resultados de forma objetiva. Por isso, ele também deve incluir alguns indicadores-chave de performance (KPI).

Conferir o “time to fill”, por exemplo, permite reconhecer se o RH tem sido mais rápido para preencher as vagas. Já o índice de rotatividade (turnover) demonstra a satisfação e a permanência dos colaboradores e ajuda na tomada de decisão. Dependendo dos objetivos, estabeleça os medidores adequados.

2. Descubra onde estão os gaps

Para valorizar o RH e a sua atuação, também é essencial identificar quais são as falhas e onde falta performance. Assim, é possível garantir um desempenho melhor e que facilite o alcance dos objetivos de negócio. Pensando nisso, veja como agir para encontrar os gaps do setor.

Mapeie competências exigidas e reais

Entre as principais lacunas organizacionais estão os gaps de competência. O RH estratégico deve ser capaz de identificá-los para entender, claramente, qual é a melhor maneira de agir sobre o negócio.

Para tanto, vale realizar um mapeamento sobre todas as competências que são exigidas nos cargos. Depois, é interessante usar avaliações de competência e a coleta de feedbacks para reconhecer quais são as skills presentes. A partir disso, é possível atuar com treinamentos e capacitações com foco no desenvolvimento de habilidades específicas.

Compare resultados planejados e alcançados

Os gaps de RH também acontecem quando os resultados consolidados ficam aquém do que foi planejado. Por isso, é interessante comparar os indicadores do plano em relação às conquistas consolidadas.

Pense, por exemplo, que o objetivo era diminuir a rotatividade em 20% dentro de um período. No entanto, a redução foi de apenas 5%. Essa diferença indica que as soluções não foram tão efetivas e deixaram, portanto, uma lacuna. Assim, é possível agir para reverter a situação.

Identifique onde estão os principais gargalos

Inclusive, encontrar os gaps depende da avaliação em relação aos gargalos. O RH estratégico deve realizar um mapeamento de processos para entender quais são os pontos que geram algum “estrangulamento” e, com isso, afetam todo o desempenho do fluxo.

Imagine que o preenchimento de vagas executivas demora mais que o necessário. Isso enfraquece a liderança, afeta o gerenciamento e prejudica a produtividade — um verdadeiro efeito dominó. Então, significa que o processo seletivo nesse sentido funciona como um gargalo e deve receber prioridade de resolução.

3. Crie uma rotina de prestação de contas com a diretoria

Demonstrar o valor do setor é essencial para tornar o RH estratégico. Por isso, é muito importante criar uma rotina para prestar contas diretamente à diretoria. Com os dados certos, é mais fácil ter o apoio das partes elevadas do negócio. A seguir, veja como agir!

Apresente indicadores relevantes

Mais que apenas indicar o quanto foi gasto ou como os valores foram distribuídos, é essencial demonstrar valor por meio dos indicadores de performance. Isso muda a perspectiva da diretoria e ajuda a consolidar o RH como uma peça fundamental para a empresa.

Entre os indicadores relevantes, um dos destaques fica para o Retorno sobre Investimento (ROI). Ele se baseia na relação dos lucros com os gastos e demonstra quanto a empresa ganhou ao investir em uma nova plataforma ou em uma mudança. Com o uso dessas informações, é mais fácil contextualizar o desempenho.

Utilize marcadores temporais

Também é oportuno demonstrar a evolução dos resultados ao longo do tempo. Como alguns investimentos se consolidam após determinado período, é importante demonstrar como isso acontece para a diretoria. É o caso de comparar a evolução da retenção de talentos de um semestre para o outro. Se o crescimento relativo for interessante, ficará claro o papel do RH estratégico.

Aproveite o poder dos relatórios gerenciais

Além disso, vale a pena utilizar os relatórios gerenciais como ferramentas de apoio nessa prestação. Mostrar como os dados impactam os objetivos estratégicos do negócio, por exemplo, demonstra como o setor é relevante. Elaborar esses documentos corretamente e de forma estruturada faz diferença para garantir que o setor seja visto de uma maneira positiva e alinhada com as demandas de atuação.

Planilha de recrutamento

4. Entenda as necessidades das áreas internas

Um dos papéis mais importantes do RH estratégico é suprir as demandas dos diversos setores de modo adequado. Para tanto, é preciso ser capaz de reconhecer quais são as exigências e o que realmente ajuda na conquista de bons resultados. A boa notícia é que o uso de algumas ferramentas auxilia a “desvendar o mistério” de cada área interna. Descubra o que fazer!

Acerte na avaliação de desempenho

A realização correta de avaliações de desempenho é fundamental para entender quais são os resultados consolidados pelo time ao longo do tempo. Então, mais que uma simples etapa burocrática, ela deve servir para colher informações relevantes sobre a performance.

Tudo começa com a escolha do modelo certo, como avaliação 90°, 180º, 360º ou autoavaliação. Também, é preciso definir uma frequência adequada, já que a realização anual pode não ser a melhor alternativa. Com a obtenção correta de dados, é mais fácil identificar quais são as necessidades.

Faça pesquisas de clima organizacional

Ainda, é interessante entender qual é a percepção das pessoas em relação ao clima organizacional. Afinal, esse é um grande vilão para a saída de colaboradores e merece atenção extra do RH estratégico. Uma pesquisa de clima organizacional abrangente permite identificar pontos de conflito, dificuldades de comunicação ou falta de aderência à cultura. Assim, é uma forma de atuar de modo funcional.

Colete feedback de gestores e colaboradores

Além de tudo, é preciso ouvir as pessoas envolvidas nos processos internos. Por isso, vale criar uma política de coleta de feedbacks tanto por parte dos gestores quanto dos colaboradores. Isso ajuda a identificar as necessidades de treinamento ou de integração entre times, por exemplo. Como são informações obtidas diretamente com os maiores interessados, a decisão passa a ser especialmente efetiva.

5. Torne os processos de recrutamento mais ágeis

Encontrar as pessoas certas para o negócio é um dos papéis relevantes do RH. Como o objetivo é ter uma atuação diferenciada e estratégica, vale a pena pensar em garantir agilidade para essas etapas. Para que isso se concretize, veja quais são as principais soluções para essa parte.

Faça um bom mapeamento de vaga e de perfil

Tão importante quanto ter uma seleção ágil é recrutar a pessoa certa — e com mais chances de permanecer. Por isso, é fundamental realizar um mapeamento completo sobre cada vaga e o perfil profissional desejado. Incluir hard e soft skills, por exemplo, permite identificar facilmente quem é o candidato ideal. Também, é preciso reconhecer quais são as responsabilidades e o papel de cada vaga na organização, de modo a direcionar o recrutamento.

Adicione tecnologia ao processo

A tecnologia é muito bem-vinda na transformação do RH estratégico. Quando o objetivo é obter um recrutamento eficaz, isso é especialmente importante. A melhor notícia? Há muita versatilidade entre as soluções disponíveis.

É possível, por exemplo, contar com recursos que ampliam a publicação de vaga e, assim, atrair outros talentos. Também, é interessante pensar em recursos como aplicação de testes, entrevistas digitais, agendamentos presenciais e assim por diante. Com a ajuda da tecnologia, o processo se torna muito mais eficiente e funcional.

Conte com o apoio especializado

Para incorporar a tecnologia corretamente e acelerar o recrutamento, é oportuno contar com uma consultoria de recrutamento digital. Com o apoio de um time especializado, é possível selecionar e implementar as soluções ideais para cada processo. Além disso, o acompanhamento por parte da equipe ajuda a estabelecer a melhoria contínua. Desse modo, o uso de tecnologia se torna cada vez mais estratégico e adequado aos interesses organizacionais.

6. Elimine burocracias

Um dos problemas mais comuns nas empresas é o alto nível de burocracia que envolve certas tarefas. Além de diminuir o valor agregado, é algo que afeta a produtividade e gera custos desnecessários. Ao RH estratégico, cabe a função de eliminar essas questões. Veja como fazer.

Invista em comunicação e integração

A ligação entre RH e comunicação interna precisa ser fortalecida para derrubar as barreiras da burocracia. Em vez de criar canais de comunicação engessados, por exemplo, vale facilitar a troca de feedbacks e o fluxo de informações. Também, é essencial garantir que a comunicação aconteça em duas vias. Além de a gestão falar com os colaboradores, os profissionais precisam alcançar hierarquias superiores. Assim, é possível evitar ruídos e conquistar uma atuação consistente.

Fortaleça as lideranças

A autonomia é interessante para tornar o RH mais estratégico. Ao mesmo tempo em que ajuda a consolidar um desempenho melhor, é uma forma de “desafogar” o setor com decisões que poderiam ser tomadas internamente entre as áreas. Para tanto, é fundamental desenvolver lideranças e fortalecer o papel do líder. Com uma atuação do tipo, há uma gestão integrada e o RH não precisa atuar somente para “apagar incêndios”.

Recorra à automação de tarefas

A tecnologia não deve ser limitada apenas ao de recrutamento e seleção. Na verdade, é interessante automatizar várias outras etapas repetitivas e de pouco valor agregado para o RH. Com a automação das atividades certas, é possível conquistar produtividade e menos custos. Além disso, é uma forma de deixar os profissionais do RH dedicados a tarefas complexas e de maior impacto no desempenho.

7. Inclua inovação nas práticas

Como visto, o uso de tecnologia é essencial para te um RH estratégico. O uso dos recursos certos de automação e desburocratização garante que o setor se torne mais relevante e capaz de entregar resultados. Além de recorrer à tecnologia, é importante pensar em outras práticas de inovação. Veja como agir!

Fortaleça a cultura de inovação

Não basta que o RH traga soluções inovadoras se isso não fizer parte do DNA da empresa. Por isso, é essencial desenvolver e fortalecer a cultura organizacional em relação a essa característica. Cabe ao setor incentivar que as áreas internas também se tornem inovadoras e que os colaboradores tragam sugestões e soluções inéditas. Assim, é mais fácil implementar saídas de forma contínua.

Atenda às novas necessidades dos profissionais

Com a chegada de novas gerações no mercado de trabalho, o comportamento das empresas deve mudar. Por isso, um RH estratégico é aquele que é capaz de se adaptar às exigências atuais. A ideia é saber reconhecer as demandas e trazer soluções para se alinhar a elas. Novidades no treinamento, na capacitação, no recrutamento e na retenção são algumas possibilidades para considerar.

Fique de olho nas novidades de gestão de pessoas

O gerenciamento de pessoas está em constante transformação. A entrada das tecnologias de recrutamento e seleção, a gamificação na gestão e tantos outros recursos são apenas algumas possibilidades. Por isso, é essencial se manter sempre atualizado para implementar as novidades mais relevantes. Isso fará com que o setor seja dinâmico e capaz de obter resultados melhores.

Tornar o RH estratégico permite que ele fique ainda mais eficiente, funcional e necessário para o negócio. Com a ajuda dessas dicas, você terá todas as ferramentas para garantir que o setor ganhe relevância e desempenho.

Como o uso da tecnologia é uma das possibilidades, entre em contato conosco da Weseek e veja como nossas soluções podem auxiliar!

Guia completo para a otimização de processos de recrutamento

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa