fbpx
soft skills

Quais são as soft skills requisitadas pelo mercado pós-pandemia?

Recrutamento Digital: tudo que você precisa saber em um só lugar!

As soft skills, também chamadas de habilidades comportamentais, são características subjetivas relacionadas à inteligência emocional das pessoas. Essas são capacidades adquiridas, de modo geral, por meio das vivências que o indivíduo adquire ao longo da vida.

Ao contrário das hard skills — habilidades relacionadas ao conhecimento técnico, como faculdades, cursos e outras adquiridas nas escolas — as soft skills são fundamentais para qualquer tipo de atuação profissional.

No mercado de trabalho atual e no pós-pandemia, essas características continuarão sendo amplamente exigidas. Pensando nisso, preparamos este artigo sobre as soft skills mais requisitadas pelo mercado pós-pandemia. Acompanhe!

O que são soft skills e qual importância delas?

Trata-se de competências que se relacionam com o comportamento e a personalidade de um profissional. Elas envolvem aptidões emocionais, mentais e sociais. Podem ser entendidas como habilidades particulares de cada indivíduo, já que nascem de acordo com a educação recebida, as experiências, a criação e cultura de cada indivíduo, e também envolvem outras questões pessoais. 

Esses comportamentos também se relacionam com a maneira do profissional interagir e se relacionar com as pessoas e interferem nos relacionamentos de trabalho. Assim, por consequência, elas têm impacto na produtividade individual e da equipe. As soft skills possuem caráter subjetivo e, por vezes, são difíceis de avaliar, pois não dependem de uma capacitação técnica. O desenvolvimento delas é que proporcionará a competitividade dos negócios. Por isso, é tão importante os recrutadores estarem atentos a essa competência.

Soft skills no ambiente corporativo

Como você deve ter percebido, avaliar e incentivar uma competência técnica é mais fácil do que identificar uma soft skill. No primeiro caso, é possível conquistá-la lendo livros e fazendo cursos. Para alcançar a excelência, basta ir se aprimorando. Para as companhias, investir em treinamentos para um profissional tímido usar um sistema operacional pode ser mais simples do que dispor de esforços para o mesmo profissional na área de vendas.  

Nesse cenário, é comum que os jovens estejam mais engajados na formação técnica do que na comportamental, negligenciando, de certa forma, o desenvolvimento da sua inteligência emocional. Diante disso, não é difícil constatar que a maioria desses profissionais, quando entra no mercado de trabalho, não está preparada para enfrentar os desafios que se encontram no meio corporativo.

Isso acontece porque, ao finalizar o ensino médio, o que é cobrado desses jovens profissionais são as hard skills. Esse cenário se complica porque, na transição da adolescência para a vida adulta, muitas são as questões enfrentadas por eles.

No entanto, além da inteligência emocional, outras competências emocionais são responsáveis por conferir mais engajamento, foco, produtividade e motivação a essas pessoas. Logo, é necessário divulgar a necessidade dessas habilidades, a fim de conquistar profissionais mais preparados para o mercado de trabalho, o mais cedo possível.

Como aperfeiçoar as soft skills?

Atualmente, as empresas procuram por profissionais com competências capazes de fazer a diferença em seus negócios. Encontrar um “completo”, ou seja, com todas as esperadas, pode ser uma missão um tanto complicada. Porém, é sempre possível contratar aqueles mais aptos para a função, além de abertos a novos conhecimentos, e oferecer mais treinamentos para que possam cumprir as exigências da empresa. Pensando nisso, preparamos dicas de como aperfeiçoar as soft skills na equipe da sua companhia.

Feedback

Manter uma constância permanente na troca de feedbacks contribui para que o funcionário tenha a percepção dos seus pontos fortes. Para isso, é necessário o acompanhamento permanente do gestor da área, que deve fazer a avaliação da rotina de trabalho e detectar em quais situações o profissional tem uma melhor performance. Dessa maneira, será mais fácil trabalhar as soft skills.

Reconhecimento de potenciais e estímulo

Em um time de trabalho, sempre existem aqueles profissionais com certas particularidades pelas quais se destacam. Diante disso, é fundamental reconhecer as competências e habilidades mais aparentes em cada profissional e incentivar o aperfeiçoamento delas. Assim, deve-se identificar aqueles que estão mais dispostos, comprometidos e engajados em melhorar.

Autoconhecimento

O primeiro passo para o desenvolvimento das soft skills é o autoconhecimento. Apesar de muitas vezes ele precisar do reconhecimento do gestor ou dos próprios colegas, é muito importante que o profissional seja incentivado a olhar para si, a fim de aprimorar ou descobrir soft skills que não foram despertadas ainda.

Quais são as soft skills que estão em alta no mercado?

As habilidades comportamentais favorecem os relacionamentos interpessoais, o que é indispensável para a geração de um clima organizacional positivo, indispensável para a produtividade de uma empresa.

Além disso, são responsáveis por um bom convívio social, favorecendo o relacionamento entre os públicos da empresa, fator imprescindível para a geração de bons negócios.Para conferir à sua empresa todos esses benefícios, listamos, a seguir, as soft skills mais valorizados pelo mercado no pós-pandemia. Acompanhe!

Flexibilidade

Mais do que nunca, o mercado de trabalho exigirá dos profissionais flexibilidade para lidar com a nova realidade, que, muitas vezes, vai envolver recursos mais escassos e reestruturação de processos. Surgem também novos concorrentes, novas exigências e demandas para atender ao “novo normal”. Nesse sentido, o currículo profissional precisará de novos conhecimentos e também de habilidades emocionais para lidar com o novo cenário. A flexibilidade será priordial para a adaptação a essa nova realidade.

Resiliência

No pós-pandemia, a resiliência continuará sendo uma soft skill muito requisitada. Essa competência pode ser entendida como a capacidade de se recuperar rapidamente após o enfrentamento de grandes adversidades. Ela exige alta maturidade psicológica e domínio das emoções. O profissional resiliente consegue lidar com mudanças e ser persistente a pressões. Por ser fundamental para qualquer área de atuação, é uma das soft skills mais almejadas pelas empresas no mercado de trabalho atual.

Considerada uma base forte para os momentos de dificuldade, é o suporte para o aprimoramento de outras soft skills. Contudo, trata-se de uma competência bem difícil de ser adquirida. Geralmente, as pessoas que a possuem são indivíduos que já enfrentaram questões complicadas no meio corporativo.

Planilha de recrutamento

Orientação para resultados

O “novo normal” exigirá cada vez mais dos profissionais, visto que a competitividade entre as empresas tende a crescer, o que requer dos colaboradores foco para resultados. Ou seja, com metas tendendo a ser mais desafiadoras, o profissional precisa saber lidar com suas emoções e adversidades externas para conquistar as metas impostas. Completam essa competência: a resiliência e a capacidade de negociação.

Colaboração

A colaboração e uma boa comunicação precisam andar juntas, sendo que a primeira está relacionada ao trabalho em equipe. Nesse sentido, é esperado que os funcionários desenvolvam o senso de colaboração e trabalhem em equipe. Cada integrante que dominar certas soft skills pode colaborar com aqueles que ainda não desenvolveram certas aptidões. Esse “complemento” de habilidades garante diferenciais competitivos para a equipe e, consequentemente, para o negócio.

Comunicação eficiente

No ambiente corporativo, a comunicação é uma habilidade indispensável para os relacionamentos interpessoais. Uma comunicação eficiente envolve a interpretação e a transmissão de ideias, a fim de passar, de forma clara, para o interlocutor o que realmente se deseja transmitir. Quando o objetivo de uma boa comunicação é alcançado, o indivíduo é capaz de falar para os mais diversos públicos e conquistar o sucesso na sua comunicação.

É importante lembrar-se de que a maioria das profissões requer algum tipo de interatividade, seja uma interação restrita ao próprio ambiente corporativo, seja o relacionamento com os clientes, por exemplo. Nesse cenário, uma boa comunicação também inclui saber ouvir de forma atenta, comportar-se em diferentes situações, escrever bem, compreender o que está sendo dito e ser capaz de realizar atividades em equipe.

Trabalho sob pressão

A resiliência é outra soft skill elementar para complementar a capacidade de trabalhar sob pressão, competência relevante no pós-pandemia. Isso porque, mesmo nos melhores ambientes de trabalho, podem acontecer situações inesperadas que requerem alto equilíbrio emocional, a fim de que os resultados não sejam afetados. Nesse caso, o profissional precisa gerenciar o estresse, mantendo o foco no trabalho. Logo, pensar nas soluções ao invés dos problemas é crucial.

Capacidade de resolver problemas

Assim como trabalhar sob pressão, a capacidade de resolver problemas também é algo extremamente importante no mercado de trabalho. Profissionais com perfis mais detalhistas e observadores podem sair à frente no desenvolvimento dessa competência, que é uma das mais procuradas no mercado e será ainda mais valorizada no pós-pandemia. No entanto, além da capacidade de fazer análises e cerificações de determinada situação, também é preciso a destreza para tomar uma decisão da melhor maneira possível.

Pensamento criativo

Para ajudar as empresas a se reinventarem, o pensamento criativo será muito valorizado no mercado de trabalho pós-pandemia. É sabido que alguns indivíduos são naturalmente mais criativos do que outros. Contudo, cada função exigirá uma criatividade, que deve ser adaptada ao ambiente corporativo e às necessidades do negócio, além de serem aperfeiçoadas na prática.

É certo que essa competência será mais ou menos exigida a depender do cargo, mas, em um mercado altamente competitivo quanto o atual, o profissional que for capaz de demonstrar mais facilidade na elaboração dessas questões, revelando agilidade e inovação, conquistará o cargo pretendido.

Em uma negociação de vendas, por exemplo, o profissional com pensamento criativo tem mais chances de propor soluções singulares para uma crise. Vale lembrar-se de que a criatividade é algo que é construído por meio do conhecimento de determinados assuntos, das próprias experiências profissionais e considerando a resiliência do profissional.

Empatia

Em especial para líderes e gestores, a empatia é fundamental. Trata-se de uma competência relacionada à capacidade de se colocar no lugar de outro, de maneira a compreender a pessoa. No ambiente corporativo, a empatia é útil em dois aspectos.

Primeiramente, ela é essencial para a relação entre gestores e seus subordinados. Assim, em relações em que exista alguma forma de liderança ou hierarquia, colocar-se no lugar do outro é o primeiro passo para tornar a gestão mais aberta e humana. Logo, a empatia é a base para uma boa gestão de pessoas.

No relacionamento com os clientes, essa também é uma competência vital. Com a empatia em prática, é possível compreender qual é a necessidade do consumidor de maneira exata. Tendo isso em mente, torna-se mais fácil construir um discurso mais personalizado e persuasivo, a fim de impulsionar a empresa em seu mercado de atuação.

Liderança

É certo que nem todos os contratados serão gestores, mas a capacidade de liderança é indispensável para a contratação de profissionais com sentimento de dono e uma série de habilidades como empatia, boa comunicação e capacidade de negociação, que impulsionarão a empresa.

Assim, a liderança torna possível que o profissional seja mais do que um bom funcionário. Isso devido ao fato de que a ela une todas as principais competências e habilidades esperadas em um profissional. Para o mercado de trabalho atual, onde a velocidade do mundo globalizado pede soluções cada vez mais ágeis, contratar pessoas com essa soft skill é uma necessidade crescente.

Como identificar essas skills no processo seletivo?

O primeiro passo para identificar as skills nos candidatos é fazer uma boa descrição de vaga. Com isso, você tende a atrair os candidatos que mais se identificam com o perfil da posição em aberto. É preciso ser detalhista e descrever o máximo de informações sobre a função e também as skills fundamentais para o exercício das atividades.

O segundo passo é fazer uma boa triagem de currículos, com a avaliação das hard skills. Com as experiências anteriores, já dá para ter uma boa noção das vivências dos candidatos. A aplicação de testes, como a metodologia DISC, e as entrevistas finais permitirão uma avaliação mais profunda das competências e habilidades dos funcionários.

A contratação de uma consultoria de RH é indicada para otimizar os processos e aumentar a eficiência das contratações. Isso porque essas empresas possuem um grande conhecimento de mercado, o que ajuda na assertividade dos perfis escolhidos, otimizando tempo e recursos da empresa.

Como vimos ao longo desta leitura, as soft skills são habilidades comportamentais que não se aprendem em sala de aula. Por isso mesmo, são muito valorizadas, já que, comprovadamente, são capazes de trazer diferenciais competitivos para os negócios.

Se você gostou deste artigo sobre quais são as soft skills requisitadas pelo mercado pós-pandemia, compartilhe nas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso ao tema!

Guia completo para a otimização de processos de recrutamento

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa